domingo, 17 de novembro de 2013

Razão X Emoção

"Você tem que escolher, necessariamente, uma das ruas para salvar pessoas. Em uma delas há 100 pessoas, na outras estão seus pais, somente eles. Se você agir pela razão, irá pela rua que tem cem pessoas, pois salvará mais vidas. Se for agir pela emoção, salvará seus pais, porque os ama.

O certo é ter equilíbrio. :) Nesse caso, que é um extremo, não tem tanta solução, mas no dia a dia, o equilíbrio é a melhor opção. Não agir com toda a razão e nem com toda emoção."


Depois de ler esse texto entendi um problema que esteve na minha vida. Por tempos agi demais na emoção, e quando necessariamente tive que usar a razão, vacilei. Entendi agora que não posso agir só pela emoção, preciso manter esse equilíbrio constante na minha existência, acho que aquele ponto em que tive que decidir, usar a razão, foi um ponto de amadurecimento, e que não usei desse amadurecimento. Nisso fica a lição de que é preciso sempre fazer o que deve ser feito, tem que fazer o que é certo. Não decidir pode custar à uma regressão.

quarta-feira, 9 de outubro de 2013


A vida nos cobra reinvenção, renovação, por isso se decida, tome a decisão, e esconda as lágrimas, não há tempo pra demonstrar emoções, decorrentes de um apego, pegue o caminho e não olhe pra trás... Dói? Muito, mas é necessário sangrar para não fazermos o outro chorar, opte pelo seu eu, e siga o caminho que é teu. Nunca vou entender essa lei da vida... Ela quer que criemos laços, nos desprendamos deles, para em seguida criar novos, e assim continuar a reinventar, é um teste? Estamos constantemente passando por provas? Quero aprender então esse movimento de constante renovação, porque sinto que na primeira prova eu reprovei, e estou aqui tendo que renovar, mas só depois que apanhei e sofri muito. Acho que pra quem é mais desprendida a vida dói menos, ou não, mas pressinto que sim, quem sabe se eu tivesse seguido adiante eu já teria descoberto, acho que ir pro lado que não sabemos nos custa menos, talvez, por mais que doesse no inicio, acho que não há dor que não acabe, por isso é melhor sair do lugar já conhecido, por que uma hora ou outra você será expulso, ou será mastigado pela vida, e o preço que se paga dói mais.

quarta-feira, 8 de maio de 2013

"E daí, de hoje em diante
Todo dia vai ser
O dia mais importante..."

Eu era um Lobisomem Juvenil - Legião Urbana. ♥

terça-feira, 7 de maio de 2013

Pra agora!

Felicidade - Marcelo Jeneci


Haverá um dia em que você não haverá de ser feliz
Sentirá o ar sem se mexer
Sem desejar como antes sempre quis
Você vai rir, sem perceber
Felicidade é só questão de ser
Quando chover, deixar molhar
Pra receber o sol quando voltar
Lembrará os dias que você deixou passar sem ver a luz
Se chorar, chorar é vão porque os dias vão pra nunca mais
Melhor viver, meu bem
Pois há um lugar em que o sol brilha pra você
Chorar, sorrir também e depois dançar
Na chuva quando a chuva vem
Melhor viver, meu bem
Pois há um lugar em que o sol brilha pra você
Chorar, sorrir também e dançar
Dançar na chuva quando a chuva vem
Tem vez que as coisas pesam mais
Do que a gente acha que pode aguentar
Nessa hora fique firme
Pois tudo isso logo vai passar
Você vai rir, sem perceber
Felicidade é só questão de ser
Quando chover, deixar molhar
Pra receber o sol quando voltar!

Indignação!


Indignação é caminho, foi ele que me trouxe aqui hoje, estou indignada, triste por nossas crianças, pelos os nossos futuros ‘adultos’.  Tive uma experiência hoje no trabalho, dou aulas de matemática através um projeto por ‘mais educação’ e o intuito desse projeto é fazer a educação de forma diferente, dinâmica, e hoje faríamos um bingo com perguntas de matemática e português, e como a má organização que ainda está essas crianças não tinha levado lápis para preencher a cartela do bingo, e fomos nós, eu e a outra professora, que distribuímos os lápis, e uma menina de 11 anos, que é conhecida por seu péssimo comportamento e encrencar com todos, emburrada por que a ponta do seu lápis estava quebrada, e por não ter paciência, nem respeito, atirou sua cartela no chão junto com o lápis, apenas peguei sua cartela e dei para outro aluno que tinha chegado atrasado, e disse que ela não iria participar com os outros, e apenas fiquei indiferente a ela, no final do bingo, a cartela premiada foi justamente a dela, e eu tentei refletir com o restante da turma, e mostrei pra ela como à vida pode dá respostas rápidas, e ela seguiu rindo, um riso meio envergonhado, consentindo que eu estivesse certa, mas que tanto faz pra ela. E logo depois o alvoroço quando entreguei o prêmio ao ganhador, voaram como loucos em cima do menino, querendo o prêmio e a bagunça se armou, e por causa dessa bagunça, derrubavam cadeiras, mesas, e por conta disso tudo, foram aparecendo o desrespeito com o trabalho do professor, rasgaram cartelas, e ainda atiraram a cartela como bola de papel na própria professora.  E eu acabei dando suspensão a um aluno que havia derrubado uma carteira e se recusava a levantá-la.  Depois de dispensados os alunos eu fui refletir, e sentir dó, tristeza, indignação por que sei que eles mesmos vão pagar por esses maus comportamentos, como tudo só se voltará para ele mesmo, e como a criança não consegue parar pra pensar nisso, e onde está a educação da família, simplesmente inexistente, e escola ao invés de educar, contribui para esse mau comportamento, por não trabalhar essa questão de reflexão, pois também fica difícil sem a educação vinda da família, por que devia ser um continuar saudável, Família, escola, mas não é isso que acontece, fica ao professor o desafio, enfrentar o trabalho duro que é e ainda desvalorizado, ou apenas decidir não fazer nada mesmo, a não ser quem tiver uma forte paixão e realmente o comprometimento. Por que não é um caminho fácil, eu me questiono se é isso mesmo que vou abraçar, estou descobrindo, houve outra questão, quando cheguei na minha  casa fui para meu quarto, e meu banheiro tem um problema na descarga que fica derramando água no vaso, e quando cheguei a caixa estava enchendo, e eu não tive o cuidado de ir olhar se estava derramando, eu estava querendo relaxar, refletir com essa questão, e acontece que meu pai presenciou que estava derramando e me perguntou por quê não olhei, e eu calmamente expliquei que sempre tenho esse cuidado, que o melhor mesmo era concertar de uma vez, retirar, e ele disse que não, que é só ter o cuidado, mas eu disse que tenho esse cuidado sempre, mas é como se por eu não ter tido agora, eu não tivesse nunca, e ai pronto, eu chorei e expliquei a situação, que estava cansada por conta das crianças, do meu trabalho, ele acabou se estressando eu também, e enfim, ficou essa situação chata, por quê além de você agüentar essas situações no trabalho, a vida mesmo em sociedade que não é fácil, ainda tem os problemas dentro de casa. Gente, ser adulto, ser gente, viver, não é fácil. Agora se perguntem se não ta fácil pra quem busca entender, têm consciência, imagine pra essas crianças como será o futuro, se as condições que vivem hoje os levarão às situações cada vez mais complicadas, se não forem ajustadas agora, se essas crianças não foram preparadas pra enfrentar isso? Não é brincadeira mesmo viu! Educação é tudo, é fácil, pensem como se formaria médicos, e todas as outras profissões se não fossem os professores? Precisa ser valorizado, por que sem essa valorização, não há professores capacitadas, cada vez menos os alunos fogem dessa profissão, e por que os governos não valorizam? Por que a educação, o cidadão não é prioridade, é prioridade o trabalho desse homem, seu calor, que gera riqueza.  É aquela questão, pra quê educação se um povo alienado é mais fácil de dominar?  Querem nos tratar como aqueles bois de engenho, que ficam por horas e horas só rodando pra gerar o mel da cana de açúcar, que será vendido e trará mais lucro para os capitalistas. Pensem! 

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Quero Uma Máquina Fotográfica!


Olhei na janela, e lá pousou um passarinho, depois outro igualzinho, eram tão lindinhos, eles pareciam conversar e então me deu vontade de me aproximar, me juntar à conversa, mas a janela atrapalhava, e eu sei que eles iam se assustar, pois o ser - humano os ameaça, os prendem, os privam da liberdade do vôo, eles não ia confiar em mim, eu os entendo perfeitamente! E então eu os quis ter pra mim, mas de uma forma que eles continuassem seus, foi ai que pensei na fotografia, é, eu quis ter uma máquina fotográfica nas mãos pra tornar aqueles dois, naquele momento, eternos, mas eu lembrei que não tenho máquina fotográfica, e ai pensei que quero ter uma!

Esses dois lembram um pouco os que vi! Eles tinham traços vermelhos.

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Encontrei esse texto em outro blog, achei de acordo com o momento. 

O mundo inteiro está cheio de pessoas. 
            Há pessoas caladas 
            que precisam de alguém para conversar. 
            Há pessoas tristes 
            que precisam de alguém que as conforte.  
            Há pessoas tímidas 
            que precisam de alguém que as ajude vencer a timidez.  
            Há pessoas sozinhas 
            que precisam de alguém para brincar. 
            Há pessoas com medo 
            que precisam de alguém para lhes dar a mão. 
            Há pessoas fortes 
            que precisam de alguém que as faça pensar 
            na melhor maneira de usarem a sua força. 
            Há pessoas habilidosas 
            que precisam de alguém para ajudar a descobrir 
            a melhor maneira de usarem a sua habilidade. 
            Há pessoas que julgam que não sabem fazer nada
            e precisam de alguém que as ajude a descobrir o quanto sabem fazer.  
            Há pessoas apressadas 
            que precisam de alguém para lhes mostrar
            tudo o que não tem tempo para ver. 
            Há pessoas impulsivas 
            que precisam de alguém que as ajude a não magoar os outros. 
            Há pessoas que se sentem de fora 
            e precisam de alguém que lhes mostre o caminho de entrada. 
            Há pessoas que dizem que não servem para nada
            e precisam de alguém que as ajude a descobrir

Blog: http://macseven.blogs.sapo.pt/1136.html

....

Obrigado por se atrever a pensar em mim. *-*